Páginas

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Quarta de frio e saudade.

Chegando tarde em casa,
Cansado, mais um dia de trabalho,
Sem muito animo, nem preparo o jantar,
Só penso em ouvir musica e relaxar...

Nat King Cole, um pouco do frio,
Acalento ao meu coração,
Cada nota musical, um sorriso,
E a memória, nostalgia e saudade...

Não sei muito ainda do que é ser,
Tenho vivido intensamente,
E as vezes até erro em tanto,
Entretanto, em riscos, nos corrigimos...

Pode ser um devaneio,
Eu ainda não sei direito,
Mas, vou aguardando minha outra parte,
Ansiando sua hora de ''chegar''.




segunda-feira, 15 de maio de 2017

Carta para mulher amada. (que ainda não conheço)

Eu quero ser o melhor de mim,
Quero te dar o melhor que existe em mim,
Espero poder corresponder ao que me espera,
Quero ser o que nunca fui, porque ser é agora...

Não sei onde você está,
Te procuro a tanto tempo,
Pelas ruas tento ver você, na fila do pão,
Nos terminais de ônibus, sempre te procuro...

As vezes bate aquela angustia,
Aquele cansaço de tentar, medo de ser feliz,
Mas, a saudade de ter saudade do que não tive,
Me faz persistir, e recomeçar a cada manhã...

Quero poder fazer seu café da manhã,
Poder cultivar rosas no nosso jardim,
Uma rede balançando no entardecer,
Você no meu colo, com apenas o som do mar...

Furto do tempo estes momentos,
Que ainda nem vivi, mas anseio muito viver,
E na escola da vida, vou me graduando pra ter você,
A aceitação e condição começa onde não conseguimos ver...

Não quero te atrair pelo que é visto,
Nunca quis dinheiro, nunca quis ser ''bonito'',
Me preocupo com a essência, em regar as plantas do jardim,
Em poder no fim da vida ter a certeza que fiz o que pude...

As pessoas são superficiais demais,
Talvez por isso você tem demorado mais,
O trivial não me atrai, a curva bonitinha do corpo muito menos,
Com o tempo aprendi o que é descartável...

E da mesma maneira tenho entendido o que realmente importa,
O valor da simples presença, do toque, do carinho, do abraço,
Das mãos dadas sem ter hora de partir, do cobertor quentinho,
Das risadas sem sentido, embora nelas hà mais sentido que tudo...

Não sei quando você vai ler isso, ou quando isso vai ser pra você,
Mas tenho te aguardado a muito tempo, tentando, aprendendo,
Escancarando as janelas do meu coração, não para o que é novo,
Mas sim, para o eterno...

Até breve.


quinta-feira, 11 de maio de 2017

O que alimenta este blog hoje pede pausa para o amor e a poesia.

Hoje é um dia de profunda tristeza.

LUTO!

terça-feira, 2 de maio de 2017

Saudade daquilo que passou.

Hoje na porta do Marista,
Me lembrei tanto de você,
Que meu coração parou,
Junto dele o tempo,
Voltei ao passado,
E deu tanta saudade,
Daquilo que passou...