Páginas

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Poesia de uma palavra só.

Incompreensivel
Olhar
Ao
Coração.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Minha vida continua, contínua sem sentido
buscar um sentido, sentindo-se sem ele
é vazio demais para um coração que sente.

sábado, 4 de setembro de 2010

Poesia marginal.

Meu tempo é impar,
o relogio nao para
é tudo atonal
hoje a poesia é marginal
sem sentido, ou nexo
ou sei la o que?!

Sentido, incorreto
sem direçao, ou angulo
o cigarro contamina meu pulmao
eu nao fumo, mas sinto o cigarro
eu bebo e nao sinto o alcool

Tudo é fora de controle
como essa conversa informal
entre eu, e eu mesmo
sem a Irene ou o filme sem graça
ouvindo Strokes fica mais legal,

Mas ainda sim, continuo na mesma
na mesma poesia marginal.