Páginas

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

No interior do meu coração.

Olá mocinha,
Não ligue pra essa valsinha,
Sei que sou meio falante,
Mas não se importe tanto...

Sem querer, foi entrando,
Revirando a casa desarrumada,
No (meu) interior me encontrou,
Onde nem eu mais sabia...

A vida e suas surpresas,
Cada dia novas oportunidades,
E a gratidão por poder recomeçar,
De mim, essa sensação de desbravar...

Seguindo com fé e saudade,
De contar os minutos a sua espera,
Dessa nossa empatia de repente,
Esse negócio do ''santo bater'' (risos)...

Não sei o que vai ser,
Só sei que quero você aqui,
Regue comigo este jardim,
Sem pressa, mas cuide comigo...

Porque o amanhã não sabemos,
O hoje é nossa eternidade,
Sempre tudo (em nós) se renovando,
E a cada ''Oi'' seu, sou toda alegria do mundo.

Obrigado. :)

Nenhum comentário: